quinta-feira, 12 de julho de 2012

Arquitetos Famosos - Calatrava


Santiago Calatrava


Santiago Pevsner Calatrava Vall 
(Valência, 28 de julho de 1951) é um arquiteto e engenheiro espanhol cujo trabalho tem se tornado bastante popular nas últimas décadas. 
Calatrava licenciou-se em arquitetura em 1974. Mudou-se para Zurique para estudar engenharia civil, licenciando-se em 1979 e doutorando-se em 1981. O partido de seus projetos, considerado único e altamente influente, é difícil estabelecer um perfil da arquitetura de Calatrava devido a sua complexidade e heterodoxia irredutíveis a fórmulas que combina uma presença visual marcante com conhecimentos tecnológicos sólidos.
Frequentemente inspirado por formas orgânicas como esqueletos, seus trabalhos elevaram o desenho de certas obras de engenharia para novos patamares. Calatrava gosta de evidenciar o movimento das forças que animam as construções. Introduz soluções móveis e configurações dinâmicas, freqüentemente assimétricas. Talvez por isso seja classificado como um dos mais ativos "estruturistas" contemporâneos. Também gosta de dotar suas realizações de conotações organicistas e surrealistas. Inspira-se primordialmente nos seres da natureza (antropomórficos, harmonias e equilíbrios dos esqueletos ou das formas naturais, articulações-rótulas, tendões-cabos); assume muitos riscos na busca de um estilo próprio que se baseia na natureza. Em sua curta trajetória, já tem obras suficientemente importantes para ser reconhecido. Dotado de um grande talento para o desenho, também se ocupou de pesquisas paralelas à sua arquitetura, tanto no campo do desenho de objetos como no da escultura.


Alguns de seus projetos mais famosos incluem:

Cidade das Artes e das Ciências - Valência, Espanha








1 -  O Hemisferic (planetário)

É um dos edifícios fundamentais do projeto e foi o primeiro a ser inaugurado. Construído a modo de um olho aberto que tudo vê, está concebido como uma sala de projeções audiovisuais que permite oferecer aos seus 300 espectadores por sessão as mais inovadoras sensações audiovisuais, obtidas pelo melhor suporte tecnológico do mundo.


2 - Museu das Ciências Príncipe Felipe

Inaugurado no mês de novembro passado, foi concebido como um museu aberto e dinâmico onde o lema principal é "é proibido não tocar". Ao longo dos seus 4.000m² o visitante passa pelas diferentes áreas que cobrem uma ampla gama de temas científicos, desde biologia e física até as mais avançadas tecnologias aplicadas à comunicação, construção  e  esportes.



3 - L'Umbracle


É a porta de entrada para a Cidade das Artes e das Ciências, constituída por uma área verde de 7.000m², com 300m de comprimento e 60m de largura.



4 - Palácio das Artes Reina Sofía
O Palácio das Artes, ainda em fase de construção, será o centro artístico e cultural mais importante do mundo: arquitetura, engenharia e tecnologia de vanguarda para a criação de um espaço onde haverá lugar para todos os estilos desde os clássicos até as últimas tendências em ópera, teatro, musica e dança, contando com três auditórios:
•Sala principal com capacidade para 1.800 pessoas
•Sala de câmara para 400 pessoas
•Auditório ao ar livre, situado a grande altura, para 2.500 pessoas.

Ágora
Foi inaugurado em 2009 com o seu primeiro evento, o Open de Ténis de Valência. Serve no entanto para outros eventos desportivos e até musicais. 


Ponte de l'Assut de l'Or







A Ponte de l'Or de l'Assut a rota sul, que se conecta com o Menorca rua, cujo pilar de 125 metros é o ponto mais alto da cidade.







Auditório de Tenerife - 1997 a 2003, Santa Cruz de Tenerife, Espanha




O Auditório Tenerife, projetado pelo arquiteto Santiago Calatrava, é enquadrada dentro dos princípios da arquitetura moderna final do século XX. Seguindo as palavras do seu autor, a origem desses faz parte de um gesto livre de intenção plástica marcante, o que torna trascender a natureza artística de atividades de interior no exterior. Este é o momumento mais importante das Ilhas Canárias.
A construção começou em 1997 e terminou em 2003, foi inaugurado em 23 de setembro do mesmo ano. O Auditório tem um perfil majestoso se tornou um símbolo arquitetônico da cidade de Santa Cruz de Tenerife,  Ilha de Tenerife e Ilhas Canárias. Também é considerado o melhor edifício moderno, nas Ilhas Canárias.



Stadelhofen Railway Station, Zúrique, Suíça 1983 a 1984





Na década de 1990 a estação de trem foi reconstruída pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava . O edifício da estação de 1894 foi preservada e os arredores foram completamente refeitos em um toque de fantasia da arte moderna, formando assim uma combinação impressionante do novo com o velho.
Tanto o edifício da estação e as plataformas estão inscritos no Inventário de Bens Culturais de importância nacional suíça.



Museu de Arte de Milwaukee, Milwaukee, Wisconsin, EUA





Instalado originalmente em uma edifício desenhado por Eero Saarinen e David Kahler, o Museu de Arte de Milwaukee, nos EUA, recebeu em 2001 um novo pavilhão com mais de 10 mil m2 projetado pelo engenheiro-arquiteto Santiago Calatrava.
Os trabalhos foram iniciados em 1995, quando o arquiteto espanhol apresentou os primeiros croquis para o trabalho. Desde então, a direção do museu e a comunidade realizaram uma campanha nacional de doações para arrecadar os 100 milhões de dólares necessários para a expansão do museu. 
O novo espaço amplia em 30% a área expositiva e permitirá a exibição de grande parte do seu acervo permanente, que contém obras de Gaudi, Picasso e Andy Warhol, entre outros nomes.


Para conseguir um contraponto com o edifício existente e com a paisagem do lago Michigan, Calatrava desenhou um pavilhão leve, transparente e curvilíneo, que estabelece um diálogo com o compacto e retilíneo pavilhão de Saarinen. 

O elemento arquitetônico mais interessante do projeto é a grande asa instalada sobre o edifício, que funciona como um brise-soleil para controle da incidência de luz e calor sobre o hall de entrada do prédio. Móvel, sustentada por finos tendões de aço, a peça mede cerca de 60 m de comprimento em seu ponto mais largo e pesa cerca de 90 toneladas. A direção do museu chegou a recomendar o uso de materiais mais leves, como fibra de carbono, mas os custos seriam proibitivos.

Assim, considerando a velocidade dos ventos locais, os problemas de operação da asa e as limitações de orçamento, a equipe de Calatrava optou pela estrutura de aço e grandes panos de vidro.
Essa peça, como as asas de um anjo, protege a entrada principal do museu, constituída por um atrio em formato parabolóide com cerca de 30 m de altura. A "escultura" resultante transformou-se em logomarca do museu e um dos principais ícones da própria cidade.
A presença de Calatrava no projeto é também facilmente notada na passarela de pedestres que conecta a entrada do museu à faixa que margeia o lago e ao centro da cidade. Com cerca de 90 m de comprimento, a estrutura é sustentada por tirantes ligados a um mastro inclinado, com 70 m.




 Complexo Olímpico de Atenas, Atenas, Grécia





Calatrava, responsável por recriar o Complexo Olímpico de Atenas e resgatar o espírito original das competições, resolveu mesclar elementos bizantinos e clássicos Gregos.
Segundo Calatrava, muitos pensam que a arquitetura grega se resume apenas em colunas, arquitraves e capitéis. Ele utiliza os arcos bizantinos, pois estes, são capazes de vencer grandes vãos na cobertura, além disso, possui planta simétrica.
Afirma que, "Então, eu poderia dizer que o desenho do Complexo Esportivo Olímpico de Atenas tem a planta clássica, elevações bizantinas e o espírito mediterrâneo












 A capacidade de Calatrava de unir design e os elementos de alta tecnologia na engenharia, de um modo inovador e criativo é rapidamente reconhecida no projeto do Complexo, a partir do eixo central, um amplo bulevar pavimentado que se estende de este a oeste coligando os vários estádios olímpicos.



O teto suspenso cobrindo parcialmente o antigo estádio principal totalmente remodelado, a cobertura total do Velódromo, um elegante arco de aço enfatizando a entrada, e a estrutura de arcos de aço do passeio (Agora) protegendo do sol o percurso dos espectadores, levam a assinatura inconfundível de Santiago Calatrava.






Gare do Oriente, em Lisboa, 1998



A Gare do Oriente, também conhecida como Gare Intermodal de Lisboa (GIL) ou Estação Ferroviária de Lisboa - Oriente, é uma das estações ferroviárias e rodoviárias mais importantes em Lisboa, em Portugal. Projectada pelo arquitecto e engenheiro espanhol Santiago Calatrava, ficou concluída em 1998 para servir a Expo'98, e, posteriormente, o Parque das Nações. 





Concluída em 1998, para atender aos visitantes da então EXPO98, serve hoje ao Parque das Nações, sendo um ponto terminal de interligação com o Metrô e garante interligações urbanas, nacionais e internacionais, centralizando os vários meios de transporte presentes na área de Lisboa. Globalmente, a estação ou "Gare Intermodal de Lisboa", se distingue como uma peça arquitetônica única, e um marco para a cidade. As partes que formam a estação são: o sistema de cobertura, que dá proteção às plataformas de passageiros, e a laje ou sistema misto de suporte das plataformas e arcos. Fundada sobre 15 estacas de concreto de 90 cm de diâmetro, se estrutura em forma de uma ponte, cujas lajes de 30cm de espessura suportam os carris e os cais dos comboios. A ponte é uma estrutura em concreto composta por um vão central de 34m, dois intermédios de 51m e outros dois de 42,50m, e com uma largura de 80m. O tabuleiro é misto de concreto na zona comprimida superior, composta, uma parte por lajes de concreto armado de 8m de largura para suporte das vias, de 65cm de espessura no centro e 60cm nos extremos; e por outro lado por uma laje nervurada, composta por vigas longitudinais ocas de concreto armado, que servem também para canalização de instalações e por vigas transversais que suportam a estrutura arborescente que forma a cobertura do cais, sendo o ladrilho de vidro de 22x22cm.




Mais fotos em Guia da cidade - Lisboa


Turning Torso, em Malmö









Turning Torso é um arranha-céu localizado na cidade de Malmö na Suécia no lado sueco do estreito de Öresund. Foi desenhado pelo famoso arquiteto Santiago Calatrava com base em uma de suas esculturas, chamada "Twisting Torso".
A torre tem uma altura de 190m e possui 54 andares. Após sua conclusão ganhou o título de "edifício mais alto da Escandinávia", sendo o segundo maior edifício residencial da Europa, atrás apenas do Triumph-Palace em Moscou com 264m de altura.
A estrutura do prédio apresenta nove grandes cubos em angulação progressiva. Eles abrigam 149 apartamentos de luxo.



Com sua  forma torcida, o edifício Turning Torso, inaugurado em agosto de 2005, virou símbolo da requalificação urbana pela qual passa a região de Porto Oeste, na cidade sueca de Malmö. O que era uma zona industrial obsoleta e degradada junto ao Mar Báltico, hoje está se convertendo em um próspero distrito de uso misto, com habitações, restaurantes, escritórios, uma marina e um campus universitário. 

Para projetar a torre Calatrava se inspirou no movimento em espiral de um torso esculpido em mármore por ele próprio. 











Puente del Alamillo.






Ponte da Constituição, em Veneza, Itália





Ponte Calatrava, mais tarde chamada de Ponte Constituição (Ponte della Costituzione em italiano), em comemoração ao 60 º aniversário da Constituição Italiana, é a primeira a ser construída depois de 125 anos na cidade de Veneza, é a quarta ponte sobre o Grande Canal.
São poucas intervenções modernas feitas em Veneza. Para um trabalho que deve ser construído através da adoção de uma série de instituições que procuram manter a imagem que durante séculos caracterizou a cidade. "Scarpa, Rossi, Nervi, Gregotti", "Vale", "Siza" e "Botta" são alguns poucos arquitetos modernos, que têm projetado e construído na ilha.
Destino diferente se abateu sobre proeminentes arquitetos como Le Corbusier "," Kahn "e" Wright ", que fizeram projetos em Veneza, mas não foram feitos. Esta detenção no passado, e a qualidade da água da cidade é parte do que atrai milhares de turistas que visitam Veneza todos os dias.
O arquiteto espanhol Santiago Calatrava, é responsável pelo projeto para ligar a estação ferroviária "Santa Lucia" com "Piazzale Roma", um ponto de chegada de ônibus e carros, que ligam a ilha ao continente.










O trabalho começou em 18 de novembro de 2002 e deveria ter sido encerrado em 16 de fevereiro de 2004, com um orçamento inicial de 6,7 bilhões de euros, eventualmente, chegou a ser de 10,7 milhões. O aumento do orçamento tem sido em parte devido à necessidade de ter de improvisar na última hora um mecanismo de acesso para cadeiras de rodas para a ponte. O trabalho foi finalmente concluída em setembro de 2008.



Puente de la Mujer, em Buenos Aires, Argentina





Seus projetos mais recentes são o de um arranha-céu em Nova Iorque composto por 12 casarões na forma de cubos e o Museu do Amanhã, obra projetada no Rio de Janeiro, Brasil, de concepção totalmente ecológica com uso de energia solar, com vistas à revitalização e modernização urbana da área do Porto do Rio de Janeiro.

80 South Street
São 12 cubos envidraçados que arrancarão rumo ao céu por mais de 250 m. Os dois primeiros cubos/andares serão áreas de lazer e comércio.



Museu do Amanhã de Santiago Calatrava




O Museu do Amanhã, que flutuará sobre a Baía de Guanabara, no abandonado Píer Mauá, tem previsão para ser inaugurado em 2014, ano em que acontece a Copa do mundo no Brasil.
Sendo um edifício sustentável, localizado em uma futura zona com uma vasta área verde, o Museu do Amanhã apresenta uma nova característica de ser Museu. Como o próprio nome diz, ele não exibirá coisas do passado e do momento atual. Ele mostrará as novas tendências, como as mudanças climáticas e o aumento populacional que deverão gerar grandes mudanças no futuro. O custo total do projeto é de R$ 270 milhões de reais. Será construído no Píer Mauá, sobre a Baía de Guanabara, que hoje está abandonado. As fotos já dão uma idéia do que será o Museu do Amanhã





O formato comprido da construção lembra uma larva que se rasteja pelo chão, com jardins nas duas laterais e um espelho d´agua na parte mais extrema do Píer Mauá. A mobilidade também está presente nesta construção de Calatrava. O vídeo mostra que alguns elementos da parte superior se movem, durante o dia para a captação de Energia Solar, e a noite, para dar iluminação as partes externas e internas do museu.






Como dito anteriormente, este é um projeto sustentável. Então, toda a construção e a posterior utilização serão feitas para não agredir a Natureza. Começando pela construção, esta será feita somente com materiais recicláveis, segundo o próprio Arquiteto. O espelho d´agua que ficará em torno da construção, terá um sistema de filtragem que utiliza a água da Baía de Guanabara, que é muito poluída. Além disso, a energia elétrica gerada para o museu virá de painéis solares.


Tanto por fora como por dentro o Museu apresenta características modernas da nova arquitetura. As fotos internas te levam a um outro mundo, onde coisas futuristas que antes imaginávamos somente nos desenhos e nos filmes, farão parte desta nova construção que, com certeza, será um Marco tanto para a Cidade como para o País. Mas para poder desfrutar toda a beleza do Museu do Amanhã, é necessário esperar até 2014, quando será inaugurado.


 


0 comentários:

Postar um comentário

Agradecemos por sua participação. Volte sempre.